segunda-feira, 21 de julho de 2008

O Processo, Hamlet e uma viagem adiada.

“Somos esses atores, essas atrizes, dentro desse espelho que nos reflete e reflete o mundo.”

Da peça Hamlet, de William Shakespeare, montada por Aderbal Freire Filho.

Nosso bilhete aéreo estava marcado para partirmos de São Paulo, rumo à Cidade do México, no sábado, dia 19 de julho. Na sexta-feira passamos por uma série de acontecimentos que fez eu me sentir como um personagem do livro de Kafka, mais especificamento do livro ‘O Processo’. Para quem conhece a obra sabe que coisa boa não foi.

O México está exigindo visto de brasileiros. Assim que fiquei sabendo da viagem, comecei a providenciar os documentos que constavam na lista do site do consulado, site este que se tornou a única maneira de comunicação entre você – que deseja visitar o país – e o consulado – que vai dizer se você é ou não bem-vindo.

Os problemas começaram ai, uma das exigências é o passaporte com validade de 01 ano. Quase uma piada, não? Qual outro país pede isso? O passaporte brasileiro só vale por 05 anos, quando você se depara com uma coisa dessa, seu tempo, que já é curto, acaba ficando ainda menor. Pois bem, eu estava entre os brasileiros que não tem um passaporte válido por 01 ano. O meu vencia em fevereiro de 2009.

Como já disse, não tem como você falar com o consulado. Se quiser, entra no site, lê pacientemente todas as informações ali presentes e, caso sua dúvida ainda não conste na lista que eles acreditam serem as mais comum, você pode mandar um email. Faça isso... e espere a resposta!!!

Fui então renovar meu passaporte, mas descobri que, devido a mudança para o novo passaporte brasileiro, tinha uma multidão de futuros viajantes fazendo o mesmo. Agendar uma entrevista? Só para agosto.
Resumindo bastante a história, enquanto eu providenciava a renovação do passaporte o consulado reformulava suas regras para emissão de visto.

Umas 3 semanas depois de começar a renovar o passaporte, consegui finalmente o novo documento. Voltei a tentar o custoso visto. Para minha surpresa não era mais necessário um passaporte com prazo de validade tão extenso, 6 meses agora é o suficiente. Porém, entre as novas normas do consulado Mexicana era um agendamento para entrevista, antes era só ir lá bem cedo, com os documentos exigidos e tirar o visto.

Entrei no site para marcar uma entrevista, mas a data disponível era 18 de julho e minha viagem marcada para 19 de julho e estava escrito que não antecipam a entrega de visto. Bom, mas e a minha história?? Pois é, só você que está lendo esse post é que ficará sabendo dela. A pessoa que me atendeu no guichê do consulado me respondeu assim: não estou interessado em seus problemas... antes mesmo que eu chegasse no meio do relato.

Sem poder perguntar, pedir e explicar que a culpa de estar pedindo o visto tão em cima da hora era da burocracia deles, tivemos que no contentar em remarcar a viagem para o dia 22 de julho.

O Hamlet da história foi a maneira que encontrei para aliviar a tensão e frustração. Passei na Faap e consegui comprar 02 ingressos para a peça, com o Wagner Moura. Já gostava desse ator, mas vendo sua atuação vivendo o papel do príncipe da Dinamarca, umas das peças de teatro que mais gosto, foi como uma visita ao paraíso sagrado que só pelas portas da arte se chega.

Tem uma frase do escritor José Saramago, escrita aqui mesmo nesse blog pela Cris, em um dos posts, que diz assim:
"Até escrever o `O Evangelho Segundo Jesus Cristo´, eu estive descrevendo uma estátua. A partir de então, tratei de me introduzir na pedra".

Li isso em Mumbai, logo no começo da outra viagem. Esse passou a ser nosso – meu e do Érico - lema, como fotógrafo.
Uma das certezas que tive vendo a peça é a de que esse cara conseguiu ‘entrar’ na pedra.

Amanha eu e o Érico partimos para mais uma viagem, dessa vez mais perto, mas para um lugar tão interessante quanto os anteriores. A oudiséia do visto tenho certeza que foi um caso isolado. Continuo na busca para poder fazer o melhor de mim, nessa profissão fantástica que escolhi. Continuo compartilhando com vocês minhas experiências de viagem.
Vamos?

3 comentários:

Santiago disse...

boa sorte, filho. boa viagem e será um prazer acompanhar de novo!

Anônimo disse...

Rena,
Queria ser o primeiro a te desejar por aqui uma boa viagem e que você consiga escrever com a luz lindas produções. Abração!
Marcelo

Jaime disse...

Boa viagem...
Vou acompanhar por aqui tb.
Abraço
Jaime


( me manda um email que eu perdi o papel com seus dados!)